Peeling Químico

Uma solução que fará com que as células se renovem é aplicada na pele, o que ocasiona a descamação e o surgimento de uma camada de pele nova. Substâncias químicas, como ácido glicólico, ácido retinoico, ácido tricloroacético (tca), ácido mandélico ou ácido carbólico (fenol) são utilizadas de acordo com a análise da pele da paciente, feita durante a avaliação médica.

Há diversos tipos de peelings químicos: superficiais, médios e profundos, de acordo com a descamação e a profundidade com que atingem a pele. O peeling químico estimula a regeneração natural dos tecidos e também a produção de colágeno e elastina (responsáveis pela sustentação da pele e pelo seu aspecto jovial). A profundidade do peeling será estabelecida pelo médico.

Essas soluções vão descamar a pele, e uma nova camada de derme será trazida à tona. O paciente terá uma sensação de aquecimento que pode durar até 10 minutos. Em alguns casos, há ardência após essa sensação. Alguns peelings mais profundos exigem medicamentos durante ou após a sessão.

2017-03-01T13:47:28+00:00