O fim das cicatrizes

Na tentativa de amenizar as marcas das cicatrizes na pele, causadas principalmente por cirurgias, alguns tratamentos vêm sendo utilizados com sucesso.

As marcas deixadas na pele por cicatrizes, provocadas por um acidente ou cirurgia, geralmente causam mal estar, e, em muitos casos, tornam infelizes aqueles que tanto desejaram passar por uma cirurgia plástica. Mas essa desconfortos podem ser minimizados, pois, de acordo com a dermatologista Tania Vilela, diversas técnicas podem melhorar a aparência de uma cicatriz e a maioria dela pode ser feita em um consultório dermatológico.

O tratamento para amenizar as cicatrizes não chega a ser uma novidade e, dentre as diversas técnicas utilizadas para revertê-las as mais comuns são a betaterapia, uma espécie de radioterapia; a dermoabrasão, que consiste no lixamento da cicatriz; a criterapia, congelamento da cicatriz; o peeling químico; e a injeção intralesional de corticoide. Em alguns casos é feita uma pequena cirurgia para a retirada da cicatriz.

Hoje, uma técnica que vem ganhando espaço é o tratamento a laser, cujo resultado pode ser potencializado com a associação de outras técnicas. De acordo com a dermatologista, pesquisas recentes tem relatado resultados surpreendentes com a utilização do laser e da luz pulsada sobre as cicatrizes. “Com o laser, como opção para o tratamento, é possível diminuir a vascularização do local, obter uma melhora na coloração e reduzir o relevo da cicatriz”, explica.

A médica, que tem uma vasta experiência com o uso de laser, afirma ainda que com essa opção é possível obter bons resultados até mesmo em algumas cicatrizes antigas. “O mais interessante é que o tratamento com laser é considerado um procedimento rápido e, em alguns casos, a anestesia local é dispensada, pois o desconforto é mínimo e não interfere nas atividades do dia-a-dia”.

A data ideal para começar o tratamento ainda é controversa, mas sabe-se que quanto mais precoce for a cicatriz, maiores as chances de obter bons resultados. “A minha conduta pessoal é orientar o paciente para que inicie o acompanhamento a partir do momento da retirada dos pontos cirúrgicos”. Ainda de acordo com a dermatologista, é mais dispendioso para o paciente tratar uma cicatriz que já evoluiu do que uma que acabou de se formar.

Entretanto, segundo a dermatologista, é importante ressaltar que nenhuma cicatriz pode ser completamente eliminada, mas o tratamento proporciona um aspecto esteticamente aceitável e que permite ao paciente satisfação com a cirurgia realizada.

Devido à variedade de opções, não existem contraindicações para o tratamento, que pode ser feito em todo tipo de pele, inclusive a pele negra. As grávidas também podem se beneficiar de alguns desses recursos, observando sempre os devidos cuidados que um dermatologista habilitado informará na hora da consulta. O tempo do tratamento também varia de acordo com as técnicas escolhidas e depende da resposta individual da pele.

2017-01-18T16:05:25+00:00